OPEN BANKING E O MERCADO FINANCEIRO

OPEN BANKING E O MERCADO FINANCEIRO

Devido ao avanço tecnológico, as instituições financeiras têm buscado novos métodos para desempenharem seus serviços, assim, surge a figura do open banking para oferecer serviços progressistas, modificando a forma mercadológica pela sua inovação e eficácia.

Este novo conceito de negócio se destaca pela sua funcionalidade, modificando o foco dos processos internos da atividade empresarial, ressalta-se uma atenção maior aos processos críticos, buscando interfaces fundamentadas na Application Programming Interface (API), para que proporcionem a outras empresas que os tem como cliente o desenvolvimento de aplicativos específicos a seu ramo de atividade, acrescendo maior valor ao seu patrimônio.

Em razão disto, as instituições financeiras passam a solidificar os serviços prestados na esfera primária, enquanto todo o desenvolvimento e criação dos aplicativos são atribuídas para uma comunidade de servidores e, assim, os bancos, pela disponibilidade de informações, passam a ter conectores para a associação de dados, afastando a empresa intermediaria, que foi titular de uma contratação, para que esta não interfira entre o seu devedor e a instituição financeira responsável aos seus recebimentos.

 As diretrizes brasileiras fundamentais se deram pelo Comunicado nº 33.455/2019, do Banco Central, em que se consubstancia os parâmetros para o compartilhamento de dados diante das plataformas existentes para os serviços financeiros.

Ato contínuo, as instituições que possuem a expressa autorização pelo Banco Central do Brasil instituíram serviços específicos como base, dentre os quais a disponibilidade de pontos de atendimento, descrição de produtos apresentados, conteúdo contratual, dados cadastrais dos particulares, dados transacionais relativos à movimentação de ativos financeiros, dentre outros.

Diante disto, torna-se o mercado financeiro mais atrativo e competitivo pela existência de ofertas melhores quanto aos serviços, sendo assim, apresentam-se as medidas inovadoras um meio de diferencial mercadológico, pela ampla movimentação de dados para interfaces mais rápidas e precisas.

Cumpre salientar que ainda muito se discute sobre a possível regulamentação do Open Banking,desta maneira, tem-se a intenção de abrir o assunto para consulta pública ainda no ano de 2.019 e a expectativa do Banco Central do Brasil é de que o Comunicado nº 33.455/2019 esteja completamente instituído até o segundo semestre de 2.020 para as possíveis expansões a diversos ramos de atividade.

Fontes:

BRASIL. Banco Central do Brasil – BACEN. “Comunicado nº 33.455”. Disponibilização 24/04/2019

FUZATTO, Guilherme. Novas diretrizes do Banco Central para Open Banking. Maio/2019. Disponível em: <http://matera.com/blog/post/novas-diretrizes-do-banco-central-para-open-banking>